Pular para o conteúdo principal

Felipe VI, Rei da Espanha, por Sua Alteza Sereníssima o Príncipe Andre III Trivulzio-Galli

A Seguir a Revista Digital Mundo da Nobreza publica o texto FELIPE VI, REI DA ESPANHA, escrito por Sua Alteza Sereníssima o Príncipe Titular de Mesolcina Dom Andre III Trivulzio-Galli, e originalmente publicado no "Blog de Cavalaria":

Felipe VI, Rei da Espanha


Foi com grande alegria que o mundo assistiu a Proclamação de Sua Majestade Católica o Rei Felipe VI de Bourbon como Rei da Espanha, Rei de Castela, Rei de Leão, Rei de Aragão, Rei das Duas Sicílias, Rei de Jerusalém, Rei de Navarra, Rei de Granada, Rei de Maiorca, Rei de Toledo. Rei de Sevilha, Rei de Valência, Rei da Galiza, Rei da Sardenha, Rei de Córdova, Rei de Córsega, Rei de Minorca, Rei de Múrcia, Rei de Jaén, Rei dos Algarves, Rei de Algeciras, Rei de Gibraltar, Rei das Ilhas canárias, Rei das Índias Ocidentais Espanholas e Índias Orientais Espanholas das Ilhas do Continente do Mar oceano, Arquiduque da Áustria, Duque de Borgonha, Duque de Brabante, Duque de Milão, Duque de Atenas, Duque de Neopatria, Duque de Limburgo, Conde de Habsburgo, Conde de Flanders, Conde do Tirol, Conde de Rosellón, Conde de Cerdanha, Conde de Barcelona, Conde de Girona, Conde de Osuna, Conde de Besalú, Conde de Covadonga, Senhor de Biscaia, Senhor de Molina e de Aragón.
Vários dos títulos que Felipe VI utiliza como Monarca Espanhol são também utilizados por outras tantas Dinastias, porém sem nenhuma "disputa", vez que, é aceitável que um mesmo título seja utilizado por mais de um Príncipe, como é o caso dos títulos de Rei de Jerusalém, utilizado pelos Reis da Espanha, pelos antigos Reis da Itália e da França, e pelos antigos Imperadores da Áustria. O título de Duque de Borgonha é também utilizado pelo segundo filho do Príncipe Luís XX de Bourbon, Duque de Anjou, Chefe da Casa Real Francesa, assim como o título de Duque do Brabante é também utilizado pela Família Real Belga, ou o título de Duque de Milão, utilizado pela Casa Imperial da Áustria e pela Real da França, assim como o título de Conde do Tirol, título este também utilizado pela Casa Imperial da Áustria e pela Casa Principesca de Trivulzio-Galli. 
Juan Carlo I impõe a faixa de Comandante Geral das Forças armadas à Felipe VI
Felipe VI, seguindo a tradição da Monarquia Espanhola, não foi Coroado, como os Reis da Grã-Bretanha, ou mesmo Entronizado como os Reis dos Países Baixos, ele foi Proclamado, como somente o são os Reis da Espanha. 
Esta cerimônia de Proclamação dá início ao Reino dos Reis Espanhóis a mais de quatro séculos, onde os Reis são Proclamados pelo Parlamento. Na Cerimônia, Felipe VI já se apresentou como Rei, uma vez que após a renúncia de seu pai, o Rei João Carlos I, que passou a valer à meia-noite da quarta-feira para esta quinta, Felipe VI tornou-se imediatamente Rei, sendo que, foi como Rei que se apresentou ante às Câmaras, para fazer seu juramento de manter a Constituição e fazer cumprir as Leis. 
A Coroa de Prata: Coroa Real da Espanha.
A Coroa Real da Espanha, também chamada de COROA DE PRATA, é o símbolo dos Monarcas da Casa de Bourbon, tendo sido mandada fazer por Carlos III da Espanha, foi lavrada em prata, e coberta de ouro. É hoje uma das peças com menos valor econômico utilizada pelos Monarcas, custa cerca de 6 mil euros, porém é a mais expressiva, quando se trata de uma Monarquia com mais de quinhentos anos de história. 
Pavilhão pessoal de Felipe VI (clique para aumentar)
Felipe VI já tem um novo Brasão de Armas, e um novo Estandarte Pessoal. Não seguiu o padrão adotado or seu pai, preferindo um modelo mais próximo do escudo de seu bisavô, o Rei Afonso XIII. Em seu escudo não há a Cruz de Santo André, símbolo da Borgonha, nem o jugo e as flechas, símbolo dos Reis Fernando I e Isabel I, há apenas o Tosão de Ouro, símbolo de seu poder dinástico. 
Esperamos que Felipe VI saiba reconduzir a Monarquia Espanhola ao papel de destaque que sempre teve, entre as grandes Monarquias Europeias, e que seu reinado lembre aquele de Felipe V, Fernando VI ou Carlos III, que foram, sem dúvida, os maiores Monarcas de seu tempo. 

Andre III Trivulzio-Galli,
Príncipe Titular de Mesolcina, de Trivulzio-Galli e do Sacrossanto Império Romano-Germânico, Duque de Alvito, de Bojano e de Venosa, Margrave de Vigevano, Conde del Tre Pievi, de Melzo e de Alvito, Barão Imperial de Retgno e de Bettole, Senhor de Trivulza, etc. etc. 

Comentários

Matérias mais lidas da Revista

S.A.S. o Príncipe D. Andrea Trivulzio-Galli, Duque de Mesolcina, surpreende participando em live sobre cachimbos

  Sua Alteza Sereníssima o Príncipe D. Andrea III Gonzaga Trivulzio-Galli, Duque de Mesolcina  (34), Chefe da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, Alvito e Castel Goffredo , sempre  famoso por sua discrição , e por quase sempre apenas aceitar dar entrevistas e declarações por escrito, surpreendeu a muitos participando de uma Live, onde falou de um de seus mais conhecidos gostos. S.A.S. o Príncipe e Duque de Mesolcina , Príncipe do Sacro Império Romano, participou em uma live no YouTube , no Canal "Tabacos Dalberto", onde falou sobre um de seus hobbies: pipar cachimbo . Além de falar sobre etiqueta na hora de pipar, Sua Alteza também respondeu a perguntas das pessoas que o estavam assistindo, algo verdadeiramente inédito se tratando do Príncipe D. Andrea.  Veja o vídeo aqui: Esbanjando simpatia , o Príncipe de 34 anos respondeu as perguntas do seu entrevistador, mas principalmente, das dezenas de pessoas que assistiram a transmissão ao vivo. Respondeu também, de forma inédit

As atividades da Grã-Princesa Maria da Rússia

 Poucas pessoas sabem, mas a Família Imperial Russa não foi totalmente eliminada pelos comunistas, na revolução de 1917 . O Grão-Príncipe Cyril da Rússia conseguiu fugir , juntamente com sua esposa, a Princesa Victória Melita de Saxe-Coburg e Gotha, e o filho recém nascido de ambos, o Grão-Príncipe Vladmimir da Rússia. Com a morte do Imperador Nicolau II da Rússia , o Grão-Príncipe Cyril tornou-se o Chefe da Casa Imperial Russa , e chegou mesmo a ser coroado Imperador da Rússia no exílio, como Cyril I da Rússia , mantendo-se como Imperador Titular até sua morte, em 1938, quando foi seguido por seu filho, o Grão-Príncipe Vladimir da Rússia, que também declarou-se "Imperador e Autocrata de todas as Rússias" no exílio, como Vladimir I da Rússia .  Do casamento de Vladimir I com a Princesa Leonilda Georgievna Bragation-Mukhrani , membro de um ramo cadete, o dos Príncipes de Mukrani, da Casa Real da Geórgia . Desse casamento nasceu uma filha, a Grã-Princesa Maria Vladimirovna da

Príncipe Leka da Albânia leva surra da ex-mulher

  O Príncipe Leka II Zogu , um dos pretendentes ao extinto Trono da Albânia, como descendente do Rei Zog I, levou uma surra da sua ex-mulher, Elia , e do pai desta. O Príncipe Leka e Elia Zaharia separaram-se , e inicialmente comentava-se que o divórcio devia-se a alguma infidelidade de Leka, porém, agora, outros contornos dão-se ao fato: pode ser que o Príncipe Leka Zogu tenha pedido o divórcio para escapar das surras que levava da ex-esposa. O casal tem uma filha, a Princesa Geraldine Zugu . Foi justamente a uma visita do Príncipe Leka a casa de sua ex-esposa, que tem a guarda da filha, que o Chefe da Família Zogu levou uma boa surra de sua ex-mulher, aos gritos de " você é uma fraude ", e investiga-se se o pai de Elia tenha ajudado a agredir o ex genro.  Tudo ficou ainda mais escandaloso , quando o Príncipe Leka filmou a gritaria, e sem o menor pudor, publicou nas redes sociais, veja o vídeo: O Príncipe Leka não é o único pretendente ao extinto Trono da Albânia , uma vez q