Pular para o conteúdo principal

O Futuro da Princesa do Brasil



Casamento de Sua Alteza a Princesa do Brasil Dona Amélia de Bragança e Ligne, 4ª na Linha de Sucessão à Chefia da Casa Imperial do Brasil, com um plebeu depara-se com a tradição da Casa Imperial do Brasil, de que os membros do Ramo Primogênito da Casa Imperial sempre se casem com membros da Realeza. Tal costume não é exigido para os membros do Ramo de Saxe-Coburgo e Bragança, por exemplo.

Várias opiniões foram dadas nestes últimos dias, como a opinião do Grupo CAUSA IMPERIAL, que expressou-se hoje, pelo Site Facebook, nos presentes termos: 


O FUTURO DINÁSTICO DA PRINCESA DONA AMÉLIA
Desde que o noivado da Princesa Dona Amélia do Brasil – segunda filha e primeira varoa do Príncipe Dom Antonio e da Princesa Dona Christine – com o Senhor James Spearman – da família dos Baronetes Spearman, do Reino Unido – foi anunciado, em julho último, temos recebido uma séries de perguntas sobre o futuro da Princesa dentro da Casa Imperial do Brasil. Sua Alteza Real, quinta na Linha de Sucessão ao Trono Imperial Brasileiro, vai renunciar a seus direitos dinásticos ou não?
Em primeiro lugar, ainda não houve nenhum anúncio, por parte da Casa Imperial, com relação a uma eventual renúncia da Princesa Dona Amélia. O que significa que o Príncipe Dom Luiz, Chefe da Casa Imperial, ainda não se decidiu com relação ao futuro de sua sobrinha. Certamente, teremos uma resposta definitiva até pouco antes do casamento, que será realizado em agosto deste ano, no Rio de Janeiro. A última renúncia ocorrida, a da Princesa Dona Maria Gabriela, foi feita em 18 de dezembro de 2003, dois dias antes de seu casamento com o Senhor Theodoro de Hungria Machado.
Em segundo lugar, vale destacar que a renúncia é uma possibilidade, e não uma certeza. Há, na história de nossa Família Imperial, um precedente para que o casamento da Princesa Dona Amélia seja aceito com dinástico: em 1948, a Princesa Dona Pia Maria do Brasil (1913-2000) se casou com o Conde René de Nicolay (1910-1954), e seu irmão, o Príncipe Dom Pedro Henrique (1909-1981), na época, Chefe da Casa Imperial do Brasil, permitiu que sua irmã conservasse seus direitos dinásticos, que não foram passados à sua descendência por estes não terem cidadania brasileira. Vale lembrar que, quarenta anos antes, o Príncipe Dom Pedro de Alcantara (1875-1940), o primogênito da Princesa Dona Isabel (1846-1921), que, na época, era o Príncipe Imperial do Brasil, teve de renunciar a seus direitos ao Trono Imperial Brasileiro antes de se casar com a Condessa Elisabeth Dobrzensky de Dobrzenicz (1875-1951). 
Assim sendo, se há sessenta e cinco anos o casamento entre uma Princesa do Brasil e um Conde foi aceito – o que não teria sido o caso algumas décadas antes –, é possível que, atualmente, uma Princesa do Brasil se case com um plebeu e possa manter seus direitos dinásticos, que poderão ser transmitidos à sua descendência, caso estes possuam cidadania brasileira. Também é oportuno dizer que, apesar de não possuir títulos, o noivo é membro da família dos Baronetes Spearman, estando na linha de sucessão ao título de sua família e sendo contraparente da Família Real Britânica. E, por via materna, ele descende da família Garrigues, pertencente à Aristocracia do Reino da Espanha.
Nosso sincero palpite é de que a Princesa Dona Amélia conservará seus direitos dinásticos. Contudo, podemos apenas especular e pedir a Deus que Ele ilumine o Chefe da Casa Imperial, para que Sua Alteza Imperial e Real tome uma decisão que trará apenas benefícios à Família Imperial e ao Brasil.

Mais ainda, fazemos votos para que a Princesa Dona Amélia e o Senhor James Spearman desfrutem de um longo e feliz casamento, e que eles construam uma família baseada nos importantes princípios monárquicos e cristãos, os pilares que sustentam o Brasil.

Comentários

  1. tomara que ela tenha gostado desta foto. Eu a editei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficou ótima Valter! Parabéns!

      Excluir
    2. Muito obrigado. Trabalho com isto e farei sempre que a família imperial precisar.

      Excluir

Postar um comentário

Matérias mais lidas da Revista

S.A.S. o Príncipe D. Andrea Trivulzio-Galli, Duque de Mesolcina, surpreende participando em live sobre cachimbos

  Sua Alteza Sereníssima o Príncipe D. Andrea III Gonzaga Trivulzio-Galli, Duque de Mesolcina  (34), Chefe da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, Alvito e Castel Goffredo , sempre  famoso por sua discrição , e por quase sempre apenas aceitar dar entrevistas e declarações por escrito, surpreendeu a muitos participando de uma Live, onde falou de um de seus mais conhecidos gostos. S.A.S. o Príncipe e Duque de Mesolcina , Príncipe do Sacro Império Romano, participou em uma live no YouTube , no Canal "Tabacos Dalberto", onde falou sobre um de seus hobbies: pipar cachimbo . Além de falar sobre etiqueta na hora de pipar, Sua Alteza também respondeu a perguntas das pessoas que o estavam assistindo, algo verdadeiramente inédito se tratando do Príncipe D. Andrea.  Veja o vídeo aqui: Esbanjando simpatia , o Príncipe de 34 anos respondeu as perguntas do seu entrevistador, mas principalmente, das dezenas de pessoas que assistiram a transmissão ao vivo. Respondeu também, de forma inédit

As atividades da Grã-Princesa Maria da Rússia

 Poucas pessoas sabem, mas a Família Imperial Russa não foi totalmente eliminada pelos comunistas, na revolução de 1917 . O Grão-Príncipe Cyril da Rússia conseguiu fugir , juntamente com sua esposa, a Princesa Victória Melita de Saxe-Coburg e Gotha, e o filho recém nascido de ambos, o Grão-Príncipe Vladmimir da Rússia. Com a morte do Imperador Nicolau II da Rússia , o Grão-Príncipe Cyril tornou-se o Chefe da Casa Imperial Russa , e chegou mesmo a ser coroado Imperador da Rússia no exílio, como Cyril I da Rússia , mantendo-se como Imperador Titular até sua morte, em 1938, quando foi seguido por seu filho, o Grão-Príncipe Vladimir da Rússia, que também declarou-se "Imperador e Autocrata de todas as Rússias" no exílio, como Vladimir I da Rússia .  Do casamento de Vladimir I com a Princesa Leonilda Georgievna Bragation-Mukhrani , membro de um ramo cadete, o dos Príncipes de Mukrani, da Casa Real da Geórgia . Desse casamento nasceu uma filha, a Grã-Princesa Maria Vladimirovna da

Príncipe Leka da Albânia leva surra da ex-mulher

  O Príncipe Leka II Zogu , um dos pretendentes ao extinto Trono da Albânia, como descendente do Rei Zog I, levou uma surra da sua ex-mulher, Elia , e do pai desta. O Príncipe Leka e Elia Zaharia separaram-se , e inicialmente comentava-se que o divórcio devia-se a alguma infidelidade de Leka, porém, agora, outros contornos dão-se ao fato: pode ser que o Príncipe Leka Zogu tenha pedido o divórcio para escapar das surras que levava da ex-esposa. O casal tem uma filha, a Princesa Geraldine Zugu . Foi justamente a uma visita do Príncipe Leka a casa de sua ex-esposa, que tem a guarda da filha, que o Chefe da Família Zogu levou uma boa surra de sua ex-mulher, aos gritos de " você é uma fraude ", e investiga-se se o pai de Elia tenha ajudado a agredir o ex genro.  Tudo ficou ainda mais escandaloso , quando o Príncipe Leka filmou a gritaria, e sem o menor pudor, publicou nas redes sociais, veja o vídeo: O Príncipe Leka não é o único pretendente ao extinto Trono da Albânia , uma vez q