Pular para o conteúdo principal

O Reino (ainda mais) UNIDO



Após escoceses rejeitarem por ampla vantagem a independência, Sua Majestade a Rainha Elizabeth II do Reino-Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte demonstra sua satisfação. 

Havíamos, na edição anterior, levantado alguns nomes dos possíveis Pretendentes ao Trono de uma possível Escócia independente, porém os escoceses disseram não à proposta.

Elizabeth II, com os trajes de Rainha da Escócia, portando o Colar da Ordem do Cardo.

Por volta das 6h locais (2h de Brasília), o 'não' vencia o 'sim' por 55,42% (1,914 milhão de votos) a 44,58% (1,539 milhão de votos), respectivamente.
A diferença vem surpreendendo especialistas, que esperavam uma disputa mais acirrada – voto a voto – com base nas últimas sondagens feitas por institutos de pesquisa.
Com base na apuração dos votos até agora, a BBC prevê a vitória do 'não', com 55% dos votos totais, contra 45% do 'sim'.
Mais de 4 milhões de pessoas – ou 97% do eleitorado – se registraram para votar no plebiscito. Pela primeira vez, eleitores de 16 e 17 anos também puderam participar da votação.
Segundo dados recém-divulgados, o índice de comparecimento às urnas beirou 90%.
Os eleitores tiveram de responder à seguinte pergunta: "A Escócia deve se tornar independente"?
O plebiscito começou às 7h locais (3h de Brasília) de quinta-feira e durou 15 horas, terminando às 22h locais (18h de Brasília).


Votação tranquila
A votação transcorreu tranquilamente em boa parte do dia nas 5.579 seções eleitorais espalhadas por todo o território escocês.
Segundo a Comissão Eleitoral, responsável pela votação, as seções eleitorais permaneceram cheias durante o dia, mas não houve registro de longas filas.
A polícia informou que duas pessoas foram detidas acusadas de envolvimento em episódios de agressão. Uma delas foi identificada como Marie Rimmer, de 67 anos, ex-líder trabalhista em Merseyside, na Inglaterra.
Centenas de apoiadores da independência permanecem reunidos na George Square, no centro de Glasgow, à espera do resultado.
No Twitter, o tenista escocês Andy Murray declarou seu apoio pela independência do país. O atleta havia se recusado a falar sobre sua posição publicamente.
O chefe do Executivo escocês, Alex Salmond, que lidera o movimento pró-independência, votou pela manhã em Aberdeenshire, no nordeste da Escócia.
Apesar de os dias exaustivos de campanha, Salmond afirmou que "conseguiu dormir" às vésperas da votação que selará o destino do país.
"Eu tive uma noite de sonho fantástica; trata-se de uma oportunidade única na vida; será um dia de que todos se lembrarão", afirmou.
Já o líder do não, Alistair Darling, foi recebido com gritos e vaias quando se apresentou para votar em Edimburgo.
"Estou me sentindo muito confiante. Trata-se de uma campanha muito longa, de dois anos e meio, paixões vieram à tona em ambos os lados e compreensivelmente, porque estamos falando da maior decisão da história deste país", disse.
"Mas estou certo de que ganharemos", acrescentou.


Fraude?
Autoridades da Escócia responsáveis pela contagem dos votos do plebiscito de independência estão investigando suspeitas de fraude eleitoral durante a votação.
São, ao todo, dez casos, todos relacionados ao crime de falsa identidade, quando as pessoas fingem ser outras para votar, antes de o eleitor verdadeiro aparecer.
Os episódios de fraude envolvem diferentes seções eleitorais do país.
Segundo as autoridades, a polícia acompanha de perto os casos.

Elizabeth II passa em revista às tropas escocesas.

Contagem
Após o encerramento da votação, as cédulas começaram a ser contadas em cada uma das 32 subdivisões administrativas da Escócia.
A contagem inclui os cerca de 790 mil votos enviados pelos Correios, o maior volume já verificado neste tipo de votação na história da Escócia.
Após a análise dos votos, um funcionário de cada subdivisão administrativa comunicará o resultado à diretoria do órgão central de contagem, em Edimburgo.
Concluída essa etapa, o resultado final será conhecido.

Comentários

Matérias mais lidas da Revista

S.A.S. o Príncipe D. Andrea Trivulzio-Galli, Duque de Mesolcina, surpreende participando em live sobre cachimbos

  Sua Alteza Sereníssima o Príncipe D. Andrea III Gonzaga Trivulzio-Galli, Duque de Mesolcina  (34), Chefe da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, Alvito e Castel Goffredo , sempre  famoso por sua discrição , e por quase sempre apenas aceitar dar entrevistas e declarações por escrito, surpreendeu a muitos participando de uma Live, onde falou de um de seus mais conhecidos gostos. S.A.S. o Príncipe e Duque de Mesolcina , Príncipe do Sacro Império Romano, participou em uma live no YouTube , no Canal "Tabacos Dalberto", onde falou sobre um de seus hobbies: pipar cachimbo . Além de falar sobre etiqueta na hora de pipar, Sua Alteza também respondeu a perguntas das pessoas que o estavam assistindo, algo verdadeiramente inédito se tratando do Príncipe D. Andrea.  Veja o vídeo aqui: Esbanjando simpatia , o Príncipe de 34 anos respondeu as perguntas do seu entrevistador, mas principalmente, das dezenas de pessoas que assistiram a transmissão ao vivo. Respondeu também, de forma inédit

As atividades da Grã-Princesa Maria da Rússia

 Poucas pessoas sabem, mas a Família Imperial Russa não foi totalmente eliminada pelos comunistas, na revolução de 1917 . O Grão-Príncipe Cyril da Rússia conseguiu fugir , juntamente com sua esposa, a Princesa Victória Melita de Saxe-Coburg e Gotha, e o filho recém nascido de ambos, o Grão-Príncipe Vladmimir da Rússia. Com a morte do Imperador Nicolau II da Rússia , o Grão-Príncipe Cyril tornou-se o Chefe da Casa Imperial Russa , e chegou mesmo a ser coroado Imperador da Rússia no exílio, como Cyril I da Rússia , mantendo-se como Imperador Titular até sua morte, em 1938, quando foi seguido por seu filho, o Grão-Príncipe Vladimir da Rússia, que também declarou-se "Imperador e Autocrata de todas as Rússias" no exílio, como Vladimir I da Rússia .  Do casamento de Vladimir I com a Princesa Leonilda Georgievna Bragation-Mukhrani , membro de um ramo cadete, o dos Príncipes de Mukrani, da Casa Real da Geórgia . Desse casamento nasceu uma filha, a Grã-Princesa Maria Vladimirovna da

Príncipe Leka da Albânia leva surra da ex-mulher

  O Príncipe Leka II Zogu , um dos pretendentes ao extinto Trono da Albânia, como descendente do Rei Zog I, levou uma surra da sua ex-mulher, Elia , e do pai desta. O Príncipe Leka e Elia Zaharia separaram-se , e inicialmente comentava-se que o divórcio devia-se a alguma infidelidade de Leka, porém, agora, outros contornos dão-se ao fato: pode ser que o Príncipe Leka Zogu tenha pedido o divórcio para escapar das surras que levava da ex-esposa. O casal tem uma filha, a Princesa Geraldine Zugu . Foi justamente a uma visita do Príncipe Leka a casa de sua ex-esposa, que tem a guarda da filha, que o Chefe da Família Zogu levou uma boa surra de sua ex-mulher, aos gritos de " você é uma fraude ", e investiga-se se o pai de Elia tenha ajudado a agredir o ex genro.  Tudo ficou ainda mais escandaloso , quando o Príncipe Leka filmou a gritaria, e sem o menor pudor, publicou nas redes sociais, veja o vídeo: O Príncipe Leka não é o único pretendente ao extinto Trono da Albânia , uma vez q