Pular para o conteúdo principal

A Baronesa Suzane von Richthofen se casa na cadeia com sequestradora



Os escândalos que cercam a vida da Baronesa Suzane Louise von Richthofen parece não tem fim. Condenada há 38 anos e seis meses pela da morte dos pais em 2002 e presa há 12 anos, Suzane Louise Freifrau von Richthofen, 30 anos, voltou a ser assunto na penitenciária de Tremembé, no interior paulista. No últimos anos, a ex-estudante se tornou evangélica, abriu mão de lutar pela herança dos pais, tentou se reaproximar do irmão e, agora, se casou com outra detenta. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Família von Richthofen, da esquerda para a direita, Baronesa Suzane (a "Baronesa Vermelha"), Barão Andreas, Baronesa Marísia e Barão Manfred Albert II von Richthofen.


Suzane von Richthofen era filha do Barão Manfred Albert II von Richthofen, nascido na Alemanha, na cidade de Erbach, em 03 de fevereiro de 1953. Barão Manfred, formado em engenharia, veio para o Brasil a convite de trabalho, sendo que por aqui fixou residência definitiva. Casou-se com Marísia Abdala, que após o casamento passou a ser Baronesa von Richthofen. Manfred Alberth II descende de Manfred Albert I von Richthofen, que ficou conhecido como o "Barão Vermelho" por conta de sua atuação na 1ª Guerra Mundial.

Brasão de Armas dos Barões von Richthofen


O casal teve dois filhos, Suzane Louise, Freifrau von Richthofen, e Andreas, Freiherr von Richthofen. Suzane, que por ter encomendado e assistido a morte dos pais, ficou conhecida como "A Baronesa Vermelha" matou os pais no dia 31 de outubro de 2002 quando foram golpeados com uma barra de ferro pelo namorado de Suzane, enquanto dormiam, originando o "Caso Richthofen". Ambos foram sepultados no dia 1º de novembro de 2002, no cemitério Redentor, na zona oeste de São Paulo. A Filha de Manfred, Suzane, planejou o assassinato dos pais junto com o namorado e cunhado, e foi julgada e condenada a 39 anos de prisão.

A "Baronesa Vermelha" se uniu em setembro com Sandra Regina Gomes, condenada a 27 anos de prisão pelo sequestro de uma empresária em São Paulo. Sandra é ex-namorada de Elise Matsunaga, presa por matar e esquartejar o marido Marcos Matsunaga, em 2012.

Para dormir com Sandra, ela teve que assinar um documento de reconhecimento afetivo, que é exigido para todas as presas que resolvem viver juntas. Com esse documento, ela trocou a ala das evangélicas, onde vivia, e passou a habitar a cela das presas casadas, onde divide espaço com mais oito casais.

Andreas, Barão von Richthofen, acompanhado de sua irmã Suzane no enterro de seus pais. Neste dia, ainda não se sabia do envolvimento da "Baronesa Vermelha" nos crimes.


Ainda segundo o jornal, pessoas ligadas a Elize e Sandra disseram que as duas estavam juntas desde o início do ano e que o relacionamento acabou por causa de Suzane. As três trabalhavam na fábrica de uniformes da prisão, onde Suzane é chefe. O triângulo amoroso acabou rompendo a amizade entre elas.

O relacionamento é apontado como um dos motivos para Suzane ter aberto mão do direito de passar os dias fora da prisão, indicou o jornal.

Comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O titulo de barão ja nao seria uma vergonha em si. Afinal definir que alguem vale mais pelo sobrenome é patético típico das elites imbecis. Bem fizeram os russos e franceses esses sim souberam tratar suas casas reais.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esperemos que DEUS o proteja!!! E dê direcionamento piedoso à consciência dessa moça!!!!

      Excluir
  3. Não posso poupar-me da angústia que me avassala o coração, cada vez que a imprensa emite alguma nota sobre esse caso terrível!!! Julgamentos...para a Justiça de DEUS e dos Homens! Esta última já está enfrentando, porém, a outra...pobre dessa moça de Alma tão fria...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Matérias mais lidas da Revista

S.A.S. o Príncipe D. Andrea Trivulzio-Galli, Duque de Mesolcina, surpreende participando em live sobre cachimbos

  Sua Alteza Sereníssima o Príncipe D. Andrea III Gonzaga Trivulzio-Galli, Duque de Mesolcina  (34), Chefe da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, Alvito e Castel Goffredo , sempre  famoso por sua discrição , e por quase sempre apenas aceitar dar entrevistas e declarações por escrito, surpreendeu a muitos participando de uma Live, onde falou de um de seus mais conhecidos gostos. S.A.S. o Príncipe e Duque de Mesolcina , Príncipe do Sacro Império Romano, participou em uma live no YouTube , no Canal "Tabacos Dalberto", onde falou sobre um de seus hobbies: pipar cachimbo . Além de falar sobre etiqueta na hora de pipar, Sua Alteza também respondeu a perguntas das pessoas que o estavam assistindo, algo verdadeiramente inédito se tratando do Príncipe D. Andrea.  Veja o vídeo aqui: Esbanjando simpatia , o Príncipe de 34 anos respondeu as perguntas do seu entrevistador, mas principalmente, das dezenas de pessoas que assistiram a transmissão ao vivo. Respondeu também, de forma inédit

As atividades da Grã-Princesa Maria da Rússia

 Poucas pessoas sabem, mas a Família Imperial Russa não foi totalmente eliminada pelos comunistas, na revolução de 1917 . O Grão-Príncipe Cyril da Rússia conseguiu fugir , juntamente com sua esposa, a Princesa Victória Melita de Saxe-Coburg e Gotha, e o filho recém nascido de ambos, o Grão-Príncipe Vladmimir da Rússia. Com a morte do Imperador Nicolau II da Rússia , o Grão-Príncipe Cyril tornou-se o Chefe da Casa Imperial Russa , e chegou mesmo a ser coroado Imperador da Rússia no exílio, como Cyril I da Rússia , mantendo-se como Imperador Titular até sua morte, em 1938, quando foi seguido por seu filho, o Grão-Príncipe Vladimir da Rússia, que também declarou-se "Imperador e Autocrata de todas as Rússias" no exílio, como Vladimir I da Rússia .  Do casamento de Vladimir I com a Princesa Leonilda Georgievna Bragation-Mukhrani , membro de um ramo cadete, o dos Príncipes de Mukrani, da Casa Real da Geórgia . Desse casamento nasceu uma filha, a Grã-Princesa Maria Vladimirovna da

Príncipe Leka da Albânia leva surra da ex-mulher

  O Príncipe Leka II Zogu , um dos pretendentes ao extinto Trono da Albânia, como descendente do Rei Zog I, levou uma surra da sua ex-mulher, Elia , e do pai desta. O Príncipe Leka e Elia Zaharia separaram-se , e inicialmente comentava-se que o divórcio devia-se a alguma infidelidade de Leka, porém, agora, outros contornos dão-se ao fato: pode ser que o Príncipe Leka Zogu tenha pedido o divórcio para escapar das surras que levava da ex-esposa. O casal tem uma filha, a Princesa Geraldine Zugu . Foi justamente a uma visita do Príncipe Leka a casa de sua ex-esposa, que tem a guarda da filha, que o Chefe da Família Zogu levou uma boa surra de sua ex-mulher, aos gritos de " você é uma fraude ", e investiga-se se o pai de Elia tenha ajudado a agredir o ex genro.  Tudo ficou ainda mais escandaloso , quando o Príncipe Leka filmou a gritaria, e sem o menor pudor, publicou nas redes sociais, veja o vídeo: O Príncipe Leka não é o único pretendente ao extinto Trono da Albânia , uma vez q