Pular para o conteúdo principal

Os Condes de Matarazzo



A Saga dos Matarazzo iniciou-se com o Capostirpe Francesco Antonio Maria Matarazzo, filhos dos agricultores Leo de Costabile Matarazzo e Mariangela Javane. Nasceu em Castellabate, Itália, em 9 de março de 1854. Ainda jovem imigrou como um plebeu para o Império do Brasil, no ano de 1881, sendo que antes de seu nascimento, a família Matarazzo não era do círculo da Nobreza Européia. 

Francesco não pertencia à nobreza italiana nem à nobreza de outros países da Europa, no entanto, no Brasil, já bilionário, alguns de seus filhos vieram a se casar com membros da alta nobreza italiana. Entre os quais, suas filhas Olga e Cláudia Matarazzo, que casaram-se com Francesco Ruspoli, 8º príncipe de Cerveteri, e o príncipe Giovanni Alliata Di Montereale, respectivamente; e seus filhos Giuseppe e Attilio Matarazzo, casados com Anna de Notaristefani dei Duchi di Vastogirardi e Adele dall'Aste Brandolini, respectivamente. Para que não ficasse mal perante a nobreza, em função de entes da alta nobreza italiana estarem casados com plebeus, as referidas famílias nobres com que os filhos de Francesco Matarazzo estavam casados fizeram um lobby em torno do rei Vítor Emanuel III da Itália. Da mesma forma, Francesco Matarazzo fazia várias homenagens aos reis da Itália, como um hospital construído na cidade de São Paulo, o Hospital Umberto I, fundado em 1904 e nomeado em homenagem ao rei Humberto I de Itália. Os referidos membros da alta nobreza italiana recebem, então, várias respostas negativas por parte do então rei italiano em relação ao conferimento de um título nobiliárquico a Francesco Matarazzo. 

Essas famílias da alta nobreza italiana buscavam, com o conferimento de um título nobiliárquico ao pai dos consortes de seus filhos, amainar o preconceito da nobreza europeia em relação aos consortes desses nobres. No entanto, alguns anos depois a Itália entra na Primeira Guerra Mundial (1914-1918). Nesse cenário, o monarca italiano disse que, por se tratar do pai de consortes de membros da alta nobreza italiana, se Francesco Matarazzo doasse milhões de dólares estadunidenses ao Reino da Itália, o monarca italiano conferiria um título nobiliárquico ao mesmo. Após o envio de milhões de dólares estadunidenses e demais mercadorias, Matarazzo recebe do rei Vítor Emanuel III o título nobiliárquico de O Muito Honorável Conde Matarazzo, em 1917. No entanto, o agora conde Matarazzo jamais seria considerado como membro da nobreza por toda a nobreza europeia, somente os descendentes dos casamentos de seus filhos e filhas com os referidos membros da alta nobreza italiana que, é claro, são considerados membros. Por outro lado, com o título de nobreza, Matarazzo viria a ser aceito pelos quatrocentões.

A importância de Francesco Matarazzo para o cenário econômico do Brasil só é comparável à que teve o visconde de Mauá no Segundo Reinado do Império brasileiro (1822-1889), tendo sido um dos marcos da modernização do país.

Conde Francesco Matarazzo foi Cavaleiro da Grã-Cruz de Graça e Devoção da Ordem Militar e Hospitalar da Milícia de Jesus Cristo e de Santa Maria Gloriosa, do antigo Principado de Mesolcina.

É comum se considerar que somente os dois filhos do I Conde de Matarazzo, Giuseppe e Attilio, se tornaram Nobres após a concessão do Condado pelo Rei da Itália, isso é devido ao fato de que foram os únicos a se casarem com mulheres oriundas de Casas Nobres italianas.

O II Conde de Matarazzo foi Giuseppe, nascido em 1877, falecido em 1972. Teve seu título de II Conde de Matarazzo alterado para II Conde de Matarazzo di Licosa (Carta Patente de 14 de Julho de 1927), sendo que foi feito Grã-Cruz de Graça e Devoção da Ordem Militar e Hospitalar da Milícia de Jesus Cristo e de Santa Maria Gloriosa, da Casa Principesca de Trivulzio-Galli della Mesolcina.
Também o II Conde de Matarazzo di Licosa doi Cavaleiro da Graça Magistral da Soberana Ordem de Malta, Comendador da Ordem da Coroa da Itália, além de ser Cavaleiro da Ordem da Legião de Honra da França. 
Casou-se com Anna de Notaristefani, dos Duques de Vastogirardi, sendo que teve sete filhos:
Francesco, III Conde de Matarazzo di Licosa,
Conde Ferdinando, casado com Maria Teresa Giunta.
Condessa Filomena, casada com o Conde Gustavo Lovatelli,
Condessa Carmelam casada com o Duque Carlo Pignatelli delle Leonesa,
Conde Ermilino, casado com Lívia Dumontet,
Condessa Teresa,
Condessa Maria da Glória, casada com Piero di Transo. 

O III Conde de Matarazzo di Licosa foi Francesco II Matarazzo, nascido em 17 de setembro de 1913, tendo falecido em Palermo, Itália, em 29 de julho de 1976. Casou-se com Maria Celeste Scomparin, falecida em 1942. 

Francesco II Matarazzo, assim como seu pai e seu avô, foi Cavaleiro Grande Oficial de Graça e Devoção da Ordem Militar e Hospitalar da Milícia de Jesus Cristo e de Santa Maria Gloriosa.

Teve dois filhos, Cláudio Matarazzo, IV Conde de Matarazzo di Licosa, e Anna Maria Matarazzo.

O IV Conde de Matarazzo di Licosa é Claudio Matarazzo, nascido em Roma, em 14 de março de 1964. Casado desde 1995 com Alessandra Rossi, nascida em 1966, é pai de uma filha, Condessa Margheritta Matarazzo.

Como o Conde Cláudio Matarazzo não tem filhos homens, é comum se aceitar que pelos critérios da Lei Sálica, seu herdeiro à Chefia do Condado de Matarazzo di Licosa e da Casa de Matarazzo seja seu primo Conde José II Matarazzo, nascido em São Paulo, Brasil, em 1978. Conde José II Matarazzo é filho do já falecido Conde José I Matarazzo, por sua vez filho do Conde Ferdinando Matarazzo, segundogênito do Conde Giuseppe Matarazzo, II Conde Matarazzo di Licosa. 

Comentários

Postar um comentário

Matérias mais lidas da Revista

S.A.S. o Príncipe D. Andrea Trivulzio-Galli, Duque de Mesolcina, surpreende participando em live sobre cachimbos

  Sua Alteza Sereníssima o Príncipe D. Andrea III Gonzaga Trivulzio-Galli, Duque de Mesolcina  (34), Chefe da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, Alvito e Castel Goffredo , sempre  famoso por sua discrição , e por quase sempre apenas aceitar dar entrevistas e declarações por escrito, surpreendeu a muitos participando de uma Live, onde falou de um de seus mais conhecidos gostos. S.A.S. o Príncipe e Duque de Mesolcina , Príncipe do Sacro Império Romano, participou em uma live no YouTube , no Canal "Tabacos Dalberto", onde falou sobre um de seus hobbies: pipar cachimbo . Além de falar sobre etiqueta na hora de pipar, Sua Alteza também respondeu a perguntas das pessoas que o estavam assistindo, algo verdadeiramente inédito se tratando do Príncipe D. Andrea.  Veja o vídeo aqui: Esbanjando simpatia , o Príncipe de 34 anos respondeu as perguntas do seu entrevistador, mas principalmente, das dezenas de pessoas que assistiram a transmissão ao vivo. Respondeu também, de forma inédit

As atividades da Grã-Princesa Maria da Rússia

 Poucas pessoas sabem, mas a Família Imperial Russa não foi totalmente eliminada pelos comunistas, na revolução de 1917 . O Grão-Príncipe Cyril da Rússia conseguiu fugir , juntamente com sua esposa, a Princesa Victória Melita de Saxe-Coburg e Gotha, e o filho recém nascido de ambos, o Grão-Príncipe Vladmimir da Rússia. Com a morte do Imperador Nicolau II da Rússia , o Grão-Príncipe Cyril tornou-se o Chefe da Casa Imperial Russa , e chegou mesmo a ser coroado Imperador da Rússia no exílio, como Cyril I da Rússia , mantendo-se como Imperador Titular até sua morte, em 1938, quando foi seguido por seu filho, o Grão-Príncipe Vladimir da Rússia, que também declarou-se "Imperador e Autocrata de todas as Rússias" no exílio, como Vladimir I da Rússia .  Do casamento de Vladimir I com a Princesa Leonilda Georgievna Bragation-Mukhrani , membro de um ramo cadete, o dos Príncipes de Mukrani, da Casa Real da Geórgia . Desse casamento nasceu uma filha, a Grã-Princesa Maria Vladimirovna da

Príncipe Leka da Albânia leva surra da ex-mulher

  O Príncipe Leka II Zogu , um dos pretendentes ao extinto Trono da Albânia, como descendente do Rei Zog I, levou uma surra da sua ex-mulher, Elia , e do pai desta. O Príncipe Leka e Elia Zaharia separaram-se , e inicialmente comentava-se que o divórcio devia-se a alguma infidelidade de Leka, porém, agora, outros contornos dão-se ao fato: pode ser que o Príncipe Leka Zogu tenha pedido o divórcio para escapar das surras que levava da ex-esposa. O casal tem uma filha, a Princesa Geraldine Zugu . Foi justamente a uma visita do Príncipe Leka a casa de sua ex-esposa, que tem a guarda da filha, que o Chefe da Família Zogu levou uma boa surra de sua ex-mulher, aos gritos de " você é uma fraude ", e investiga-se se o pai de Elia tenha ajudado a agredir o ex genro.  Tudo ficou ainda mais escandaloso , quando o Príncipe Leka filmou a gritaria, e sem o menor pudor, publicou nas redes sociais, veja o vídeo: O Príncipe Leka não é o único pretendente ao extinto Trono da Albânia , uma vez q