Pular para o conteúdo principal

Surras constantes e abusos sexuais: como foi a infância do IX Conde Spencer


Charles Spencer, IX Conde Spencer, o irmão mais novo da falecida Princesa Diana de Gales, revelou que sofreu abuso sexual quando criança em um internato. Num trecho chocante de suas memórias publicado no jornal britânico 'Mail on Sunday', o aristocrata que acaba de se tornar avô pela primeira vez após sua filha, Lady Kitty dar a luz afirma que foi abusado sexualmente por uma funcionária no internato Maidwell Hall. dele nos anos setenta. Spencer, agora com 59 anos, alega que o abuso começou quando ela tinha apenas 11 anos.


No seu novo livro “Uma escola muito privada”, ele alega que uma trabalhadora do centro, que descreve como uma “pedófila voraz” , abusou dele e de outros jovens nos seus quartos, à noite. O escritor esclarece que verificou que esta pessoa vive no estrangeiro ou faleceu.


Ele também expõe como o então diretor da escola, John Porch, infligiu "espancamentos brutais" nele e afirma estar convencido de que o professor extraía "prazer sexual da violência". Porch morreu em janeiro de 2022, de acordo com um obituário publicado no boletim informativo de sua antiga escola. Spencer acrescenta que reviver seu tempo em Maidwell foi uma “experiência absolutamente infernal”.


Agora, o Conde, afilhado da Rainha Elizabeth II, espera que o livro traga à luz o que considera uma “grande conspiração das classes altas”, como declarou numa extensa entrevista ao ‘The Times’. “Éramos como cordeiros levados ao matadouro”, lembra o Conde. «Tratava-se de assustar as crianças o máximo possível. Todo o processo de punição foi ritualístico e bárbaro . Quando um menino perdeu o controle dos esfíncteres e teve que se limpar sozinho, eles pegaram um dos meus amigos que estava lá como testemunha e bateram nele em seu lugar."


Memórias de infância chocantes

Durante sua pesquisa para o livro, Charles, Conde Spencer descobriu que os efeitos no desenvolvimento emocional do cérebro das crianças são os mesmos nos internatos e nos lares adotivos. O autor, que entrou na escola aos oito anos, foi espancado até sangrar e conta que presenciou castigos que incluíam “dar golpes até cortar várias vezes as nádegas de crianças pequenas com uma vara de rattam e agir como se nada tivesse acontecido”.


Outros ex-alunos que ele entrevistou revelaram que foram estuprados diversas vezes no internato. Um paciente terminal chegou a estipular em seu testamento vital que se recusasse a ver seus pais, pois não poderia perdoá-los por fazê-lo passar por aquela experiência.

Tendo vivenciado a bulimia quando criança na escola, Spencer diz que sente a experiência como “um grito de socorro”. Os meninos que “já tinham sido despojados das nossas mães e irmãs não tinham quem nos abraçasse. Achei que se eu apresentasse meu vômito em uma tigela alguém seria maternal comigo e cuidaria de mim. Mas é claro que me rejeitaram por ser um pouco hipocondríaco ."

Embora o aristocrata espere que o livro seja “redentor” para ele e para aqueles que sofreram em silêncio como ele , ele não acredita que as feridas serão curadas facilmente. «Isso matou uma parte de mim; Isso matou a parte mais legal de mim. Para sobreviver naquele ambiente, uma pequena mas importante parte de nós teve que morrer.


A resposta do internato

Num comunicado tornado público após a publicação da antevisão de 'Uma escola muito privada' , Maidwell Hall garantiu que é "instrutivo ler sobre as experiências que o Conde Charles Spencer, e alguns dos seus colegas, tiveram na escola, e nós lamentamos que isso tenha acontecido." "Foi a experiência dele."


«É difícil ler sobre práticas que, infelizmente, eram por vezes consideradas normais e aceitáveis ​​naquela época. Na educação de hoje, quase todas as facetas da vida escolar evoluíram significativamente desde a década de 1970. No centro das mudanças está a proteção das crianças e a promoção do seu bem-estar”, acrescentam no texto.

“Apesar de não termos recebido diretamente quaisquer reclamações de ex-alunos, tendo em conta o que foi relatado, a escola seguiu o processo regulamentar e encaminhou o caso para o responsável designado pela autarquia. Encorajamos qualquer pessoa que tenha experiências semelhantes a entrar em contato conosco ou com a Polícia", afirmaram finalmente. Porém, quando questionados se a escola continuava a espancar seus internos, a resposta foi que "a prática de punição física ainda é realizada, desde que com a prévia autorização dos pais ou responsáveis".

Comentários

Matérias mais lidas da Revista

S.A.S. o Príncipe D. Andrea Trivulzio-Galli, Duque de Mesolcina, surpreende participando em live sobre cachimbos

  Sua Alteza Sereníssima o Príncipe D. Andrea III Gonzaga Trivulzio-Galli, Duque de Mesolcina  (34), Chefe da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, Alvito e Castel Goffredo , sempre  famoso por sua discrição , e por quase sempre apenas aceitar dar entrevistas e declarações por escrito, surpreendeu a muitos participando de uma Live, onde falou de um de seus mais conhecidos gostos. S.A.S. o Príncipe e Duque de Mesolcina , Príncipe do Sacro Império Romano, participou em uma live no YouTube , no Canal "Tabacos Dalberto", onde falou sobre um de seus hobbies: pipar cachimbo . Além de falar sobre etiqueta na hora de pipar, Sua Alteza também respondeu a perguntas das pessoas que o estavam assistindo, algo verdadeiramente inédito se tratando do Príncipe D. Andrea.  Veja o vídeo aqui: Esbanjando simpatia , o Príncipe de 34 anos respondeu as perguntas do seu entrevistador, mas principalmente, das dezenas de pessoas que assistiram a transmissão ao vivo. Respondeu também, de forma inédit

As atividades da Grã-Princesa Maria da Rússia

 Poucas pessoas sabem, mas a Família Imperial Russa não foi totalmente eliminada pelos comunistas, na revolução de 1917 . O Grão-Príncipe Cyril da Rússia conseguiu fugir , juntamente com sua esposa, a Princesa Victória Melita de Saxe-Coburg e Gotha, e o filho recém nascido de ambos, o Grão-Príncipe Vladmimir da Rússia. Com a morte do Imperador Nicolau II da Rússia , o Grão-Príncipe Cyril tornou-se o Chefe da Casa Imperial Russa , e chegou mesmo a ser coroado Imperador da Rússia no exílio, como Cyril I da Rússia , mantendo-se como Imperador Titular até sua morte, em 1938, quando foi seguido por seu filho, o Grão-Príncipe Vladimir da Rússia, que também declarou-se "Imperador e Autocrata de todas as Rússias" no exílio, como Vladimir I da Rússia .  Do casamento de Vladimir I com a Princesa Leonilda Georgievna Bragation-Mukhrani , membro de um ramo cadete, o dos Príncipes de Mukrani, da Casa Real da Geórgia . Desse casamento nasceu uma filha, a Grã-Princesa Maria Vladimirovna da

Príncipe Leka da Albânia leva surra da ex-mulher

  O Príncipe Leka II Zogu , um dos pretendentes ao extinto Trono da Albânia, como descendente do Rei Zog I, levou uma surra da sua ex-mulher, Elia , e do pai desta. O Príncipe Leka e Elia Zaharia separaram-se , e inicialmente comentava-se que o divórcio devia-se a alguma infidelidade de Leka, porém, agora, outros contornos dão-se ao fato: pode ser que o Príncipe Leka Zogu tenha pedido o divórcio para escapar das surras que levava da ex-esposa. O casal tem uma filha, a Princesa Geraldine Zugu . Foi justamente a uma visita do Príncipe Leka a casa de sua ex-esposa, que tem a guarda da filha, que o Chefe da Família Zogu levou uma boa surra de sua ex-mulher, aos gritos de " você é uma fraude ", e investiga-se se o pai de Elia tenha ajudado a agredir o ex genro.  Tudo ficou ainda mais escandaloso , quando o Príncipe Leka filmou a gritaria, e sem o menor pudor, publicou nas redes sociais, veja o vídeo: O Príncipe Leka não é o único pretendente ao extinto Trono da Albânia , uma vez q